Somos uma escola de muitos “fazeres”

A nova LDB prevê a “articulação de fundamentos teóricos que embasem a relação entre conhecimentos e valores voltados para uma VIDA CIDADÃ, em que o Ensino Fundamental esteja voltado para o desenvolvimento da capacidade de aprender, tendo como meios básicos o pleno domínio da leitura, da escrita e do cálculo; compreensão do ambiente natural e social, do sistema político, da tecnologia, das artes e dos valores em que se fundamenta a sociedade, desenvolvimento da capacidade de aprendizagem, fortalecimento dos vínculos de família, dos laços de solidariedade humana e de tolerância.”

A nova legislação do ensino vem confirmar a prática pedagógica da nossa escola, que reconhece a importância dos conteúdos curriculares no Ensino Fundamental, mas que valoriza a complementação de estudos, a transversalidade de temas e a interdisciplinaridade.

Por isso, desde 1991, adotamos o Sistema de Retorno à Escola, duas vezes por semana. Além dos Conteúdos Curriculares exigidos em lei, nossos educando participam ativamente da OFICINA DE LITERATURA E ESCRITA e OFICINA DE ARTES.

Por quê oficina de Literatura e Escrita?

Em toda história da vida humana, não existe registro de nenhuma sociedade que tenha vivido sem se comunicar.

A comunicação é uma necessidade humana. Através dela, o homem exterioriza-se, expressa sentimentos, pensamentos, emoções; integra-se no universo e no convívio social, adquire uma visão do mundo, das coisas, de si mesmo, adquire conhecimento.

Redigir é comunicar-se através da escrita, é capacitar-se a adquirir possibilidades mais amplas de participação social.

Ler, por sua vez, é uma forma de aculturar-se, de viajar pelo mundo, de conhecer as estrelas, de ir a “reinos encantados” que fazem sonhar, de entrar no universo de quem escreveu, de obter informações.

Em um mundo, que evolui cada vez mais rapidamente, onde se fala em globalização, diversificação e versatilidade humana, aprimoramento, especialização e reciclagem, torna-se cada vez mais importante a leitura, a escrita e a comunicação!

Na OFICINA DA Literatura e Escrita nossas crianças exercitam a criatividade, o hábito da leitura, o ato de escrever, a consciência crítica e reflexiva, a vontade de sonhar, a motivação para se comunicar. É importante frisar que nossos educandos lêem muito, mas jamais realizam atividades do tipo “ler para fazer provas” ou ler para fazer “fichas literárias”. Atividades assim, somam para afugentar os alunos da leitura!

E a OFICINA DE ARTES: POR QUÊ?
Assim como a ciência, a história, o português, a matemática e a geográfica constroem o conhecimento humano, acreditamos que também a arte fornece sua contribuição.

A luz, a cor, o volume, o peso, o espaço, que no cotidiano são dados usados para construir através do pensamento lógico, o nosso conceito de mundo físico, em arte, são utilizados para alargar o horizonte de nossa experiência sensível. Por exemplo, pelo uso incomum de cores ou sons, pela organização inusitada de um espaço, pela textura ou forma dada a um material, a nossa própria perspectiva da realidade é alterada, abrindo as portas da imaginação e da criatividade.

Sendo assim, se considerarmos a formação do estudante como um todo, não poderíamos deixar de incluir a arte em nosso currículo e, dessa forma, unir razão e sensibilidade.

A oficina de arte propõe o resgate do expressar-se e do sentir, associado ao conhecer e ao saber. Os estudantes terão aulas sobre história da arte, participarão de montagens teatrais, farão trabalhos artísticos e terão noções de artes visuais. Todos nós sabemos que o exercício da criatividade reforça o “EU”, estimulando o desenvolvimento e propiciando o nascer de obras que são a ponte entre o homem e o seu mundo.


E as ATIVIDADES ESPORTIVAS?
As atividades físicas são tão importantes quanto as atividades ditas mentais, pois contribuem para o aprimoramento e aproveitamento de todas as potencialidades físicas, morais e psíquicas do indivíduo, possibilitando o desenvolvimento da persistência, a sociabilidade e a implantação de hábitos sadios.

Ressaltamos que a COMPETIÇÃO externa não é estimulada por nós.

Podemos estimular a Competição Interna e, para tal, ficamos lado a lado com o aluno em desafios e em situações-problemas. Aí sim! A afetividade, que subsidia o enfrentamento de sitauções novas, com certeza, estará presente na relação professor x aluno. Aprender com Prazer só é alcançado através da afetividade, que é a energética da ação.

Sem prazer, não há escola boa!

Consuelo Carvalho
Diretora Geral do Cresça - Especialista em Educação